Purple Apple Pg 65 + Música da Semana

(clique na imagem para ampliar)

(clique na imagem para ampliar)

Oiiiiiiiiiiiiiiiiiiiieeeeeee!
Semana linda, povo lindo, tudo lindo!
Mais lindo que hoje é sexta e tem Purple Apple! Eita modéstia! ahahaha

Queridos, antes de tudo, próx. fim de semana é feriado, e por motivos pessoais NÃO haverá Purple Apple, mas não chorem, não chorem! *pega caixinhas de lenço!* Na próxima sexta, dia 25 estamos de volta =D

E aí pessoal, tão gostando? O que tão achando do novo roteiro? De como a história tá seguindo? Do encontro dessas duas? Opinem =D

Ainda não tive tempo para tramar a nova promoção, mas vou ver se faço isso no final de semana =)

Beijos querido, obrigada pela cia, sempre ❤

Música da Semana ( O que fazer quando seu esposo é fã de Supernatural? lol)

 

Kansas – Carry On My Wayward Son Com Legenda

 

Kansas

Kansas é uma banda de rock americana dos anos 1970 especializada no estilo progressivoDave Hope (baixo), Phil Ehart (bateria), Robby Steinhardt (violino), Steve Walsh (teclado e vocal) e Rich Williams (guitarra) formaram a banda White Clover em sua cidade natal de TopekaKansas. Depois da entrada de Kerry Livgren (teclado e guitarra) o nome da banda foi mudado para Kansas.

Formado inicialmente por Steve Walsh (Teclados e vocal), Robby Steinhardt (Violino), Kerry Livgren (Guitarras), Dave Hope (Baixo) e Phil Ehart (bateria) eles gravaram grandes álbuns nos anos 1970. O primeiro chama- se Kansas apenas e foi o trampolim para o êxito dos que viriam depois: “Song for America”, “Masque”, “Point of Know return”e “Leftoverture”, esses dois últimos ganharam vários prêmios1 . A banda se destacou ao emplacar clássicos do rock progressivo como “Carry on Wayward Son“, hoje, é tema para cada final de temporada da série norte-americana Supernatural, “Song for America” e “The Wall”… desta época também surgiu o maior sucesso do Kansas, a balada “Dust in the Wind“.

Como o sucesso traz junto a discórdia, os integrantes começaram a se desentender no que resultou na saída de Steve Walsh e, posteriormente, de Robbie Steinhardt, Dave Hope e Kerry Livgren .

No ano de 1980 o Kansas lança o álbum “Audio Visions”, o último com a formação original. Então, o cantor principal, Steve Walsh, deixa a banda para começar sua carreira solo. O Kansas grava com John Elefante (teclados e vocais) os álbuns “Vinyl Confessions” e “Drastic Measures”, com os quais a banda emplacou os hits “Play the game tonight” e “Fight fire with fire” . Apesar de não seguirem mais a linha progressiva dos álbuns anteriores a banda manteve sua popularidade intacta2 .

Um novo período de mudanças surge na banda, segue-se uma coletânea e em 1986 eles lançam novo trabalho na praça, trata-se de “Power”. Um álbum totalmente voltado para o hard rock, influência de Steve Morse que estreava na guitarra e com a volta de Steve Walsh nos teclados e vocais.O álbum traz um bom resultado, colocando o Kansas de igual para igual com as bandas de hard da época. Este disco contém excelentes canções como é o caso de “Silhouettes in disguise”, “All I Wanted” e “Three Pretenders”.

Seguem com um álbum conceitual: “The spirits of Things”, onde se destaca a canção “The Preacher”. Vale apena frisar que desde algum tempo, a qualidade da voz de Steve Walsh estava decaindo o que dificultava as apresentações ao vivo. O Kansas já começava a perder suas forças, lança,então, álbuns ao vivo e um Box set para tentar “equilibrar as finanças”. Entretanto, o grupo acaba se separando.

A banda permaneceu um tempo longe da mídia, mas retornou com força total em 1995 com o álbum “Freaks of Nature”, Este disco mostrou um lado mais pesado da banda, que contava com a volta do som do violino à banda com a entrada de David Ragsdale. É um álbum potente e agressivo e tem como destaque as músicas “Desperate Times”, “Hope once again” e “Black phatom 4”.

Depois veio o disco de regravações de canções principais que se chama “Always Never the Same” que tem a participação da “The London Shymphony Orchestra”. Este trabalho traz a volta de Robbie Steinhardt (violino e vocais) e a busca de resgatar um som mais progressivo, tendo como grande surpresa uma regravação de “Eleonor Rigby” dos Beatles.

No ano 2000 a banda grava “Somewhere to Elsewhere” com os membros originais mais o baixista Billy Greer. Este trabalho foi um resgate do som dos anos setenta com ênfase num instrumental complexo, requintado e potente.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kansas_(banda)

 

Anúncios

Purple Apple Pg 53 + Música da Semana + Fanart

Bom dia flores do dia! Como estão?

Eu estou bem feliz com o retorno de Purple Apple, e acreditem, estou ansiosa para o começo do 4º cap. Eu realmente acho que vocês vão gostar tanto quanto eu estou gostando de fazer!

Bom, mas enquanto não chegamos aos 4º cap, vamos seguindo com o 3º! Está acabado lol

(clique na imagem para ampliar)

(clique na imagem para ampliar)

Hey, Ana! De quem você está desconfiando!? hum?

Gente, antes da música da semana eu preciso compartilhar, olha esse Fanart mais que lindooooooooooooo que recebi! Olha que coisinhas mais lindas essa Mona e Anna!
Arte feita pelo André Inacio! Aqui, conheçam a fanpage com os trabalhos do garoto: https://www.facebook.com/meuniversoparticular

By André Inacio

By André Inacio

Bom,  para encerrar a sexta, curtir o fim de semana, vamos curtir um clássico, hum!?Beijos a todos e até a próxima sexta! Ah, e mande você também seu fanart!

Led Zeppelin – Stairway to Heaven Live (Legendado)

Led Zeppelin

Led Zeppelin foi uma banda britânica de rock, formada em Londres em setembro de 1968. A banda consistia no guitarrista Jimmy Page, o vocalista Robert Plant, o baixista e tecladista John Paul Jones e o baterista John Bonham. Com o seu som pesado de guitarra, e o som de blues rock de seus dois primeiros álbuns, o Led Zeppelin é frequentemente reconhecido como um dos progenitores do hard rock e heavy metal. O estilo único da banda criou uma grande variedade de influências, e eles são amplamente considerados um dos grupos de rock de maior sucesso, inovação e influência na história.

Depois de mudar seu nome de New Yardbirds, o Led Zeppelin assinou um acordo favorável com a Atlantic Records, que ofereceu-lhes uma considerável liberdade artística. O grupo não gostava de lançar suas canções como singles, pois eles viam os seus álbuns como indivisíveis e uma completa experiência de escuta. Embora inicialmente impopular com os críticos, o grupo conseguiu um impacto comercial significativo nas vendas de Led ZeppelinLed Zeppelin IILed Zeppelin III, o seu quarto álbum sem título, Houses of the Holy, e Physical Graffiti. Seu quarto álbum, que apresenta a faixa “Stairway to Heaven“, está entre as obras mais populares e influentes do rock, e ajudou a cimentar a popularidade do grupo.

Álbuns posteriores do grupo visaram uma experimentação maior e foram acompanhados por extensos recordes e concertos que renderam à banda uma reputação pelos seus excessos e sua devassidão. Apesar de terem permanecido bem sucedidos comercialmente e criticamente, a sua produção e agenda de shows foram limitadas no final de 1970, e o grupo se desfez após a morte repentina de Bonham em 1980. Desde então, ao decorrer das décadas, os membros sobreviventes esporadicamente colaboraram e participaram de raras reuniões juntos. O mais bem sucedido deles foi em 2007 no Ahmet Ertegun Tribute Concert, em Londres, com Jason Bonham no lugar de seu falecido pai, na bateria.

Led Zeppelin é amplamente considerado como um dos grupos de rock mais bem sucedidos, inovadores e influentes da história. Eles são um dos artistas que mais venderam na história da música, várias fontes estimam recordes de vendas do grupo entre 800 a 950 milhões de unidades em todo o mundo. Com 111,5 milhões de unidades certificadas pela RIAA, eles são a segunda banda de maior recorde de vendas de discos nos Estados Unidos.2 Cada um de seus nove álbuns de estúdio foram colocados no Billboard Top 10 e seis deles atingiram o número um.3 A revista Rolling Stone descreveu como “a banda mais pesada de todos os tempos”,4 “a maior banda dos anos 70”5 e “sem dúvida, uma das bandas mais marcantes da história do rock”.6 Eles foram introduzidos no Rock and Roll Hall of Fame em 1995, sua biografia no museu demonstra que a banda era “tão influente na década dos anos 1970, como os Beatles na década anterior”.7

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Led_Zeppelin

Purple Apple Pg 43 + Música da Semana e Fanarts!

(Clique na imagem para ampliar)

Bom diaaaa!!

Pessoal, muito obrigada pela semana passada! Depois de um mês de férias, a gente fica um pouco com medo da recepção, se o pessoal vai lembrar de vir conferir, se vai ter comentários e essas coisas e poxa! Foi muitooo boa a volta das purple Apple! Valeu mesmo!

(Ah! Curtiram o novo topo e a nova aparência da página?)

Mais uma página de narração, como eu comentei, estou tentando nova quadrinização, novas cores… Criticas e comentários são bem-vindos sempre!

Pros fãs da Mona, taí uma BIG Mona! =D

Fanarts *-*

Aí eu devo ser uma garota bem mimada! ahah porque eu AMOO ganhar presentes!!!

Então, se você quiser me enviar um presentinho, é só mandar pro contato@chairim.com.br =D

Abaixo alguns lindos que recebi ultimamente:

Meu amigo PJ sempre arrasando, olha que Anna e Mona mais sensual:

Arte feita pelo amigo Péricles Junior. Quer conhecer mais? Visite: http://pjarts.wordpress.com/

Uma Mona angelical e uma Anna bem bravinha? Só pode conhecer muito bem Purple Apple pra pensar nisso! Olha que fofa elas ficaram no traço da Camila!

Arte feita pela fofa da Camila. Ela tem um blog muito legal, para conferir: http://blackdyeblog.wordpress.com/

E você? Manda logo o seu pra cá =D

E antes de ir embora…

Música da semana, tu tum tum!! (Obrigada aos que comentaram que adoram os videos que eu posto =D)

Boys Don’t Dry – The Cure 

Video com Legenda pra vocês ^^

Sobre The Cure

The Cure é uma banda de rock inglesa formada em 1976 em CrawleyInglaterraRobert Smith é o líder da banda e único elemento constante desde a sua formação, além de se manter responsável sozinho por sua direcção musical, sendo produtor, cantor, compositor e multi-instrumentista.

Aclamados no final dos anos 1980 e princípio da década seguinte, com diversos álbuns que alcançaram grande exposição e popularidade, passaram a ser negligenciados pela imprensa na segunda metade dos anos 1990. Com a chegada do novo século, a banda foi reconhecida mundialmente como uma das mais influentes do rock alternativo moderno. Várias canções dos The Cure tornaram-se sucesso nas rádios, tais como Just Like HeavenClose To Me, ou Friday I’m in Love, com indicações e ganhos em prémios, e o grupo havia vendido até 2004 mais de 30 milhões de cópias no mundo todo,[2] com 1.1 milhão de vendas certificadas somente no Reino Unido,[3] sendo uma das bandas alternativas de maior sucesso da história.[2] Em Outubro de 2008 a revista britânica NMEanuncia a atribuição do prémio ‘Godlike Genius’ à banda, em forma de reconhecimento pela contribuição para a música alternativa e pela sua extraordinária carreira.[4]

Para saber mais: Wiki

 

Bjus Bjus a todos e até sexta que vem!

Purple Apple – Página 37 – Sorteio, fanarts e música do dia!

(Clique na imagem para ampliar)

Bom diaaa!! Hoje post MEGA ESPECIAL hoje, hum? Quantas coisas preparei para vocês! huhhuhu Estou muito animada =D

Primeiro, queria agradecer MUITO todos os comentários que andei recebendo, não respondi todos ainda, mas essa semana vou tratar de responder!
Depois, que LINDO!!! Quase 200 participantes no SORTEIO PURPLE APPLE! É muito amor! ahhaha E quem ganhou? hum? Hum!! Hahaha vocês ficarão sabendo HOJE, as 21h AO VIVO pelo meu livestream! Sério, vou sortear ao vivo =D

Aqui, onde vcs devem estar as 21h para o sorteio:

http://www.livestream.com/chairim

Vamos rezar MUITO para minha net não me deixar na mão! ahhaha

Sobre a página de hoje, sério, ando me divertindo com o Nicolas! hahaha Estou me familiarizando mais com a personalidade dele… Espero que estejam curtindo =D
Mona e Anna bem grandinhas e caprichadas pra vocês =D

Humm… antes da “Música do Dia” (obrigada aos que disseram que eu estou mais informativa que a MTv- ahha) vou postar aqui alguns presentinhos LINDOS que recebi!

Arte feita por Paulo Santos, mais trabalhos dele aqui: http://captain-paulo.deviantart.com/

Arte feita por Lucy Fidelis, aqui mais trabalhos dela: http://infinitesilence.deviantart.com/

Arte feita por Anderson Santos

Sobre a música do dia. Ainda no clima de “levar” fora eu lembrei desse Clip. Tem tudo haver com isso e a animação é MUITO fofa, pena não ter achado nenhum vídeo legendado, vou por a letra completa logo abaixo, ok? Depois falo sobre quem canta a música =)

Nur Du –  L’ame Immortelle

Só Você

Você tem em meu coração
Um fogo inflama novamente
Você tem a noite em mim
Por isto para o dia feito
Você também tem meus olhos
Renovado ao brilho trazido
E tem por seu calor
Eu finalmente casa trouxe
Eu nunca mais vi algo
Que tão bonito era como você
eu Nunca mais senti algo
Que assim bem era como você
Você estava em horas escuras
Sempre minha luz solar
Você era forte, se eu fizesse não possa
Cheio de confiança
Sua natureza inflexível
Me ajudado a me entender
Porém você permaneceu eu escondido
Eu não o pude ver
Eu nunca mais vi algo
Que tão bonito era como você
eu Nunca mais senti algo
Que assim bem era como você
Eu nunca mais vi algo
Que tão bonito era como você
eu Nunca mais senti algo
Que assim bem era como você
Você prendeu você em você
Na fuga antes de suas preocupações
Todos sua doença e sua dor
Permanecido eu por isto escondido
Porém as paredes de sua alma
Eu não pude superar
Para os portões que eu achei
Nenhuma chave acha
Eu nunca mais vi algo
Que tão bonito era como você
eu Nunca mais senti algo
Que assim bem era como você
Eu nunca mais vi algo
Que tão bonito era como você
eu Nunca mais senti algo
Que assim bem era como você
Eu ainda nunca tinha perdido algo
Que tão valioso quanto você era
Eu poderei nunca mais amar
Porque só você é o amor
Eu nunca mais vi algo
Que tão bonito era como você
Eu nunca mais senti algo
Que assim bem era como você
****
Sobre L’ame Immortelle

L’Âme Immortelle (do francês: A alma imortal) é uma banda austríaca de metal industrial e música eletrônica que mistura elementos de Futurepop. O som do L’Âme Immortelle mistura batidas eletrônicas dançantes com melancolia e vocais masculinos ásperos com vocais femininos tristes. As letras são escritas em alemão e inglês. Algumas vezes tem sido relacionados ao estilo darkwave.

Fonte: Wikipédia

 

Uiaaa! Post grandee! É isso aí gente! Espero que tenha gostado! Até mais tarde pro sorteio das almofadas =****

Purple Apple – Página 36

(Clique na imagem para ampliar)

Bom dia meus queridos! Como estão?

Adoro ler sempre os comentários de todos! Mas estou sentindo falta de presentinhos! Simmm! Eu sou manhosa ò_ó

Rs…

Que frio que está fazendo esses dias, né?

Para esquentar um pouco, página nova pra vocês! Uhu \o/

A neta do Sr.º Romero tem nome!!! Uhu!!! E… ela ficou linda na visão da Anna, não acham? (ou eu que sou mãe coruja e acho isso rs…?)
Bem que dizem que “o amor é cego” e que “a beleza está nos olhos de quem vê”, hum? ahahaha

Mas… pelo outro lado, que foraaaaa Ana! Aí tadinha da minha morena! Hahahah

E… pra combinar, a música de hoje vai ser pra embalar essa “foça” que a Anna está!

Acompanhem a letra, o vídeo já tem legenda =D

***

The Rose – Janis Joplin


Bom… Sou suspeita a dizer, já que pra mim, sem dúvida Janis Joplin é e sempre será a melhora cantora  que o mundo já teve! Sua voz grave, seu estilo, suas letras… para mim é sem igual!

Aqui um pouco da cantora:

Janis Joplin foi considerada a principal cantora branca de blues dos anos 60, e certamente uma das maiores estrelas daquela época. Mesmo antes de sua morte, a forte imagem de mãe do blues só serviu para camuflar sua vulnerabilidade. A publicidade, que trouxe à tona sua vida sexual e seus problemas com álcool e drogas, conseguiu torná-la, de certa forma, uma lenda. Recentemente, tentou-se resgatar a história da vida e trabalho dela num contexto feminista, apresentando resultados variados. Em relação à causa da morte de Janis Joplin e de seus contemporâneos (Hendrix, Jim Morrison e outros), talvez a dela seja a menos conhecida entre o público jovem. Janis Joplin nasceu numa sólida família de classe média, em 19 de janeiro de 1943. Ela sempre foi uma jovem muito solitária, que logo tomou gosto pelo blues e o folk music, retratando isso em pinturas e poesias. Aos 17 anos, ela saiu de casa e começou a cantar em bares de Houston e Austin, no Texas, para juntar dinheiro e ir para a Califórnia. Em 1965, ela já estava cantando blues e folk em bares de San Francisco e Venice, na Califórnia, nesse período, ela tinha perdido seus colegas e estava desempregada. Janis voltou para Austin em 1966, para cantar numa banda Country, mas, em poucos meses um amigo dela, o empresário da Chet Helms, apresentou-a a uma outra banda de San Francisco, a Big Brother, que estava precisando de uma cantora. Então, ela voltou à Califórnia e juntou-se à essa nova banda. Janis Joplin e Big Brother deram um show em 1967, no Monterey Pop Festival; então Albert Grossman se propôs a empresariá-los. Janis Joplin começou a tornar-se uma superstar. Após um grande sucesso do primeiro LP com os Big Brothers, a gravadora Columbia Records assinou um contrato, e, o álbum Cheap Thrills, com o single “Price of My Heart” (#12, 1968), conquistou o disco de ouro. Passado um ano, Joplin começou a se ofuscar na banda, então ela resolveu deixar os Big Brother (mesmo tendo participado de algumas faixas do álbum Be a Brother, de 1971), para seguir sua carreira com o guitarrista Sam Andrew, formando a banda Kozmic Blues. Joplin viajava constantemente e sempre participava de programas de televisão como convidada de apresentadores, como Dick Cavett, Tom Jones e Ed Sullivan.Finalmente, o LP Kosmic Blues foi lançado, com várias faixas de blues-rock, assim como “Try (Just a Little Bit Harder)”. Durante este período, Joplin começou a se envolver demais com álcool e drogas, tornando-se uma viciada em heroína. Sua vida parecia estar seguindo o rumo certo, com a gravação de Pearl. Ela resolveu se casar e estava entusiasmada com a banda Full Tilt Boogie, que ela tinha formado para produzir o álbum Pearl (Pearl era o apelido de Joplin). Em 4 de outubro de 1970, o corpo de Janis Joplin foi encontrado num quarto do Hotel Landmark, em Hollywood, com picadas de agulha recentes, no braço.A causa de sua morte foi dada como overdose acidental de heroína. O LP póstumo Pearl (#1,1971) homenageou-a com a canção “Me and Bobby McGee” de seu amado Kris Kristofferson, e foi lançado com a faixa “Buried Alive in the Blues” sem o vocal de Joplin, que morreu antes de fazê-lo. Várias coletâneas póstumas foram lançadas, assim como o documentário Janis, de 1974. O filme The Rose, de 1979, estrelado por Bette Midler, foi um relato levemente disfarçado da carreira de Janis Joplin. Ela também tem sido tema de várias biografias, incluindo Love, Janis, escrita por sua psicoterapeuta e irmã Laura.

Eu sinceramente recomendo essa música ^ , um extra pra vocês hoje. Porque assim, The Rose não é a mais conhecida, porém combinava com a página. Mas está é uma das mais “top” rs.. Vale a pena ouvir e animar sua sexta =D (o vídeo tb já está com a legenda!)

Beijos e até sexta!

 

Ah… antes de ir! Lembrando que o sorteio se encerra na próxima semanas! E o resultado sai na sexta dia 15! Já tá participando ou vai deixar de ganhar a Mona e a Anna em mini almofadas fofíssimas?

 

Entre em nossa página e participe: http://www.facebook.com/HQPurpleApple

(clique na imagem e participe!)